Dia nacional do crepe?!

Em fevereiro o calendário francês indica uma data comemorativa supercuriosa: dia 2 é o dia nacional do crepe! Um dos pratos mais conhecidos da culinária francesa, essa espécie de panqueca fininha vem da região da Bretanha, no norte da França. E é popular no mundo inteiro. Reza a lenda que, nesse dia, se alguém conseguir pegar um crepe com a frigideira, depois de jogar a massa para o alto com a mão direita e enquanto segura uma moeda de ouro na mão esquerda, ficará rico dentro de um ano.

 
Se você estiver com pressa ou o orçamento estiver muito apertado, os crepes de rua podem ser uma boa opção... porém, certamente, não satisfazem os consumidores mais exigentes. Encontrado em praticamente todas as esquinas, esse tipo de crepe geralmente tem a massa comum, feita com trigo. Além disso, seus recheios são simples, quer salgados (como queijo) quer adocicados (açúcar ou chocolate). Caso você queira experimentar um desses, a dica é que procure uma barraquinha que não pré-prepare os crepes. Mesmo que possa demorar um pouco mais (afinal você vai precisar esperar que o chef atenda ao seu pedido), nesses locais a massa fica é fresquinha e, portanto, muito mais gostosa! Nossos crepes de rua favoritos ficam na barraquinha na frente do metrô Odeon. Todavia, não espere qualquer refinamento: é para receber, sair andando e comendo.
 
Já os gourmets de plantão vão preferir saborear o verdadeiro crepe bretão com toda a pompa. Não faltam excelentes creperias em Paris. O prato, aqui, ganha contornos mais específicos. Os crepes salgados são chamados galettes e são feitos com uma massa um pouco mais escura, de trigo sarraceno. Alguns recheios clássicos são queijo, presunto, champignon e ovos, porém é possível encontrar muitas combinações diversas pelos restaurantes da cidade. Por sua vez, o crepe doce é feito com uma massa de farinha de trigo e, além dos recheios típicos de chocolate e açúcar, também é comum encontrar frutas, caramelo, chantilly e sorvetes variados.
 
Mas, nessa família, talvez o membro mais conhecido e festejado seja o ilustre Crepe Suzette. A famosa sobremesa teria sido criada por Auguste Escoffier, como homenagem ao rei Eduardo VII da Inglaterra. Trata-se de uma massa finíssima feita em manteiga saborizada com tangerina, que é dobrada em quatro, regada com licor de laranja e flambada, podendo ser servida com sorvete e frutas.
 
No bairro de Montparnasse, é possível encontrar várias creperias bretãs típicas. Nossa favorita é a Josselin. E não poderíamos deixar de recomendar o Breizh Café, no bairro do Marais, considerado por muitos pariesienses como a melhor creperia da cidade. É, realmente, de ficar com água na boca!
 
 

Outros Artigos

> leia mais

Comentários

Deixe seu comentário