Marca registrada das comemorações

Formaturas, casamentos, prêmios... Quem nunca brindou a uma conquista ou boas notícias? E qual é a forma mais chique de se comemorar? Com uma garrafa de champagne, é claro!
 
Champagne, talvez seja a bebida mais típica da França. Até porque, enquanto é possível produzir vinhos em qualquer lugar do mundo, o champagne só se faz aqui. Sim, caro leitor: apesar de essa palavra ser largamente utilizada ao se falar em vinhos brancos espumantes, enólogos, fabricantes e apreciadores sabem: Champagne é uma marca registrada! Portanto, só podem receber legitimamente essa nomenclatura os vinhos originários da região da França de mesmo nome. E que passaram por um processo de produção diferenciada. Eles são feitos de uvas Pinot Noir, Pinot Meunier ou Chardonnay, cultivadas na região, respeitando regras específicas, cuja produção é fortemente controlada, havendo determinações que orientam desde a poda do vinhedo até o grau de compressão das garrafas. Uma etapa importante e bem característica é a segunda fermentação, já dentro da garrafa, que cria a carbonização típica da bebida. Segundo o controle oficial, o tempo de produção do champagne é, no mínimo, um ano e meio para o desenvolvimento do seu sabor. 
 
Apesar de todo esse cuidado, dizem que o primeiro champagne foi produzido acidentalmente! Em 1531, monges franceses engarrafaram a bebida antes do processo de fermentação chegar ao final, e a pressão em algumas garrafas foi tão grande que muitas explodiram... ou as rolhas saltaram. Os monges apelidaram a bebida de "vinho do diabo", o que não impediu que se tornasse um grande sucesso. 
 
O champagne é uma bebida muito popular e, apesar da imagem de drink aristocrático (ou talvez exatamente por causa dela), os maiores consumidores da bebida são de classe média. O seu consumo cresceu rapidamente durante o século XIX: de 300 mil garrafas por ano em 1800, para 20 milhões de garrafas em 1850. E sua procura continua crescendo... em 2014, foram cerca de 308 milhões de garrafas. Haja comemoração! 
 
E nós, que tal brindarmos ao novo ano e à vida? Tim-tim!!!
 
 

Outros Artigos

> leia mais

Comentários

Deixe seu comentário