Agora é pra valer!

Finalmente começa o ano de 2015! Findou o carnaval. Agora, é o momento real de começar a pensar no restante do ano, cheio de desafios, incertezas, divagações e, principalmente, de possibilidades de recomeçar a preparar os seus sonhos e suas promessas para o Ano Novo.
 
A economia natalense, voltada fortemente para o turismo, necessitará mais que grandes feriados, carnavais ou semanas santas. Necessitará de investimentos no setor turístico e gastronômico, por parte dos governos, das grandes instituições privadas e de economia mista, pois somente com a parceria da sociedade privada e dos governantes, sairemos da dependência constante dos feriadões.
 
E volto a insistir em eventos gastronômicos que não tratem apenas de festivais de comidinhas e apresentações de chefs, porém sim de avanço de tecnologia, de formação acadêmica, de qualificação profissional, de investimentos no setor de gastronomia, seja ela de forma elaborada ou de grandes indústrias alimentícias, desenvolvendo a cidade, o estado e os profissionais existentes no mercado. Além daqueles que chegam ao mercado academicamente formado pelas faculdades ou pelas instituições de economia mista – Sistema “S” – SENAC, SESC e SENAI.
 
Investir em feiras de tecnologia, de qualificação profissional, de educação continuada, de fomentos a pequenos produtores, de capacitação profissional, de turismo gastronômico, de negócios, de lazer e de investimentos industriais, pode ser um caminho interessante para o desenvolvimento da cidade. Isso, mantendo um calendário oficial, partindo do governo com a participação ativa da sociedade produtiva do estado do Rio Grande do Norte e outros da federação ou mesmo de investidores estrangeiros.
 
O momento não é de se pensar em bairrismos ou corporativismos sem futuro, mas sim de expansão do potencial turístico, gastronômico e de qualificação e capacitação profissional. O estado tem nomes importantes na área educacional, novos projetos estão surgindo, instalações adequadas que apenas precisam se modernizar, cursos abrangentes, demanda de novos investimentos e necessidades de qualificação de profissionais.
 
Diante disso, não deixemos para o próximo feriadão! Movimentemos essas ideias em conjunto. Coloquemos em volta de uma grande mesa, empresários, profissionais, instituições acadêmicas, apoio a microempresas, economia local, políticos, governos e todos aqueles que desejam ver Natal despontar nesse mar chamado Nordeste, abundante de possibilidades, porém, ainda cheio de incertezas, que não nos cabem mais! Somos maiores do que pensamos. Dunas e forró não nos bastam mais tão somente.
 
 

Outros Artigos

> leia mais

Comentários

Deixe seu comentário