O que é uma Escola Cervejeira?

É um grupo de características desenvolvidas em regiões específicas, que são claramente identificadas nos estilos e cervejas produzidas nestes locais. Estas características se consolidaram ao longo das gerações produtoras de cervejas, baseadas nos principais ingredientes disponíveis e metodologias de produção diferenciadas.
 
Tradicionalmente, as Escolas Cervejeiras são três. Escola Alemã, Escola Belga e Escola Britânica. Hoje, incluímos uma quarta, a Escola Americana, muito mais por metodologias de produção inovadoras, reinvenção de estilos e características extremas do que por sua tradição.
 
Na coluna deste mês abordaremos duas Escolas, a Alemã e a Belga.
 
Escola Alemã: Historicamente, esteve na vanguarda em relação às tecnologias para produção de cerveja, incluindo as técnicas de baixa fermentação e isolamento de leveduras. Apesar da utilização destas metodologias inovadoras, é uma escola muito tradicional quanto aos ingredientes utilizados. A Escola Alemã é guiada pela Lei de Pureza Alemã (Reinheitsgebot), que permitia apenas a adição de água, malte e lúpulo e, posteriormente, a levedura como ingredientes. Essa Lei foi criada em 1516, por Guilherme IV, Duque da Baviera e continha uma série de orientações legais sujeitas e, em caso de descumprimento, às punições previstas na Lei. As principais características desta escola são: cervejas leves e refrescantes, de corpo médio a baixo, com sabor predominante dos cereais, aromas suaves e de poucas variações dentro dos estilos.
 
Escola Belga: O principal lema dos cervejeiros belga é, "Temos que criar cervejas excelentes para todos os gostos"! Para seguir à risca essa sentença, tudo aquilo que pudesse agregar sabor, aroma ou valor à cerveja é válido ser experimentado. Ou seja, as cervejas podem ser feitas com cereais diversos, maltados ou não. Podem ter adições de frutas, mel, açúcar e caramelo na sua formulação, até mesmo o lúpulo, pode ser utilizado em menor quantidade para dar lugar a outros temperos. Algumas cervejas não têm nem levedura (fermento) inoculada! São simplesmente deixadas para serem fermentadas espontaneamente por microorganismos presentes na atmosfera. Na Bélgica são produzidas as cervejas mais cultuadas do mundo, também as mais raras e premiadas. Cervejarias Trapistas produzem cervejas seguindo esta escola, mas disto falaremos mais adiante. As principais características desta escola são: sabores e aromas altamente complexos, voltados principalmente para os frutados e para o caramelo.
 
CERVEJA: ROGUE AMERICAN AMBER ALE
 
Família de Fermentação: Ale
Escola Cervejeira: Americana
Estilo: Amber Ale
Graduação Alcoólica: 5,1%
Temperatura ideal de consumo: 4°C a 6°C
Copo Ideal: Caldereta/Pint
Aparência: Cor âmbar com leve turbidez, colarinho
médio bege e de baixa retenção.
Aroma: Caramelo e levemente torrado, finalizado com um toque lúpulos cítricos.
Sabor: Acompanha o aroma, tendo como principal destaque o caramelo.
Sensação na Boca: Corpo e carbonatação médios.

 

Outros Artigos

> leia mais

Comentários

Deixe seu comentário