No coador é melhor mesmo?

Seja no pano ou no filtro de papel, o café coado tem seu espaço garantido nas casas e no coração das pessoas. É o tipo de consumo mais utilizado e apreciado pelos brasileiros, segundo a Associação Brasileira da Indústria do Café. Por sua tradição e sabor, é sempre uma boa presença logo de manhã, ou no trabalho, ou para acompanhar as velhas conversas com amigos. Ainda nas últimas décadas, vêm surgindo novos métodos e processos que estão em alta para uso em cafeterias e trazendo ainda mais à tona o café pretinho simples entre os jovens e apreciadores.
 
O café coado é tão popular entre os brasileiros que praticamente cada família brasileira tem seu preparador oficial da hora do café. E cada um tem sua receita ou dica de como deixá-lo mais gostoso. Claro que existem muitas formas de preparo e regras de como extrair o café mais gostoso, porém não vou me ater a detalhes agora. Basicamente a dica é regar o pó do café, dentro do filtro, com água quente. Uma colher de sopa cheia de pó para cada xícara de chá de água. Não tem erro.
 
Estudos ainda apontam que o café coado reduz em até 25 % o risco de diabetes, diminui a calvície, ajuda no combate à depressão (por isso, os brasileiros são tão alegres, será?), diminui o risco de disfunção erétil, é aliado no combate à obesidade e ainda melhora a concentração. Todos esses benefícios estão, porém, diretamente ligados ao tempo entre o preparo da bebida e o seu consumo. O ideal é que seja ingerida imediatamente após ser coado, mas caso não seja possível, melhor que não passe de uma hora na garrafa térmica.
 
O café coado tem suas vantagens ainda com relação ao sabor. Por ser uma extração mais diluída que o espresso, consegue evidenciar muito das qualidades do café, seja ele especial ou até mesmo tradicional. O espresso tem uma característica de evidenciar muito as qualidades, mas também os defeitos que possam aparecer em qualquer parte da cadeia produtiva, desde uma torra errada, a defeitos no próprio grão do café, ou mesmo o ponto de moagem inapropriado. No coado a margem para variar sem que estrague a bebida é muito maior e acaba que torna mais fácil criar bebidas saborosas. O produto sempre é uma bebida suave e leve, que evidencia o doce do grão, junto com uma acidez agradável e sabor bem fácil de distinguir as notas e aromas presentes. Por ser uma quantidade maior, é também uma boa pedida para apreciar por mais tempo e harmonizar com um bolo, ou pão de queijo.
 
Existem, além dos mais conhecidos, coador de pano e filtro de papel tipo Melitta, diversos outros métodos de extração de café coado. Nomes estranhos, como Hario V60, Clever, Chemex etc. Cada um tem sua particularidade de sabor e forma de preparo e já estão começando a fazer parte do cotidiano dos brasileiros. Atraindo cada vez mais o público jovem, conquistando uma legião de entusiastas e apreciadores de café. Falaremos sobre esses em detalhes nos próximos Papo Cafés. Então, está esperando o que para fazer seu café coado?
 

Outros Artigos

> leia mais

Comentários

Deixe seu comentário