O SABOR DA MAGIA: o poder místico das especiarias e do amor

O tema do filme é fruto da releitura do livro de uma professora imigrante indiana da Universidade de Houston, Chitra Banerjee. A obra foi traduzida para língua portuguesa em 2002 e lançado no Brasil como "A senhora das especiarias". No entanto, para o cinema recebeu o título de "O sabor da magia". A história discorre sobre a cultura indiana em que as moças são treinadas para serem “senhoras” das especiarias. Entenda-se "Senhora" como mestre em obrigações rígidas por haver recebido o dom de vidente. Dom este que tem o poder de conhecer o futuro através das especiarias. E, além disso, da capacidade de usá-las para a cura de doenças do corpo e do espírito. No que se refere às regras estabelecidas, a dotada pelo dom, Tilo ( Aishwarya Rai), a especialista em ervas, deve seguir os seguintes princípios: nunca usar uma especiaria para benefício próprio; nunca deixar a loja sozinha; e regra final: nunca devem tocar a pele de outra pessoa, ou seja, não podem se apaixonar. Todavia, a vida é imprevisível. Mesmo a protagonista do filme (Tilo) exercendo o ofício de passar as receitas, prevê futuros e tentando rearranjá-los, acaba se apaixonando por um americano, quebrando, assim, as regras que deveria seguir. Então, passa a sofrer com os efeitos da especiarias que antes ajudavam a cuidar e satisfazer as necessidades e desejos de seus clientes. Fato que coloca a personagem em xeque na tomada de  decisão entre o seu relacionamento e a arte mágica das especiarias. Mas isso, o leitor vai descobrir quando assistir ao filme que mistura misticismo com sensualidade e a descoberta do amor. 
 
FILME: O Sabor da Magia/The Mistress of Spices
DIRETOR: Paul Mayeda Berges, EUA-Inglaterra, 2006.
ELENCO: Aishwarya Rai, Dylan McDermott, Zohra Segal
ROTEIRO: Gurinder Chadha e Paul Mayeda Berges.
Baseado em livro de Chitra Banerjee Divakaruni
PRODUÇÃO: Balle Pictures -Cor, 92 min.
 

Outros Artigos

> leia mais

Comentários

Deixe seu comentário