Quatro passos para falir uma cafeteria

Muitas pessoas têm o sonho de abrir uma cafeteria. A cafeteria é um ambiente romântico, com um apelo sentimental muito forte. Somos acostumados a ver no cinema as pessoas trabalhando nos cafés, sempre num contexto muito bacana e descontraído. Quando visitamos uma cafeteria geralmente sentimos aquela atmosfera acolhedora, com aquele delicioso aroma enchendo nossas narinas. Bons momentos e conversas são passados nesses estabelecimentos. O que o leva a pensar, com os olhos marejados: que sonho que seria ter um café todinho para mim!!! Mas será que você estaria preparado para ter uma cafeteria? Será que só isso seria motivo para você querer ter uma cafeteria?
 
Esta semana um amigo veio me procurar com a ideia de ter sua própria cafeteria, pois estava querendo um trabalho mais tranquilo e com menos cobranças que seu emprego atual. Ele nem gosta muito de café, mas trouxe vários dados e estatísticas do SEBRAE e me mostrava com entusiasmo os números e como seria sensacional ele lucrando tudo aquilo que os gráficos mostravam. O plano dele estava bem estruturado em sua mente, e parecia perfeito pela matemática. Mas quando
começou a me contar vi que ele estava querendo abrir o negócio pelos motivos errados. Logo identifiquei o que eu chamo de os “4 passos para falir uma cafeteria”.
 
Os passos para falir uma cafeteria são:
 
- Passo 1 - Pensar que café é um produto absurdamente lucrativo. A conta é simples: comprar um quilo de café por digamos 40 reais, cada quilo faz 100 xícaras. Vendendo o cafezinho por 5 reais vou ter 500 reais. 460 de lucro! Não tem como dar errado. Acontece que com 460 reais não se paga nem um salario mínimo. É preciso vender muitas xícaras para se atingir o ponto de equilíbrio. Nessa equação também não entra o desperdício, nem a energia da máquina, nem o custo do aluguel, dentre tantos outros custos que diluem o lucro da xícara do café. Supor que a xícara de café é super lucrativa e abrir uma cafeteria pensando apenas nisso, é o primeiro passo para falir sua empresa.
 
- Passo 2 - Pensar que vai parar de trabalhar. Essa é a maior das ilusões. Quem abre uma cafeteria, como qualquer outro negócio, tem que trabalhar muito. Muito mais do que uma jornada de um trabalhador. São inúmeras horas gastas em compras, planilhas, pagamentos, planejamentos, reuniões, encontros com fornecedores etc. Tudo isso, além da rotina de funcionamento do estabelecimento. Oito horas diárias é só o começo.
 
- Passo 3 - Pensar que não é preciso de um local movimentado. Esse é um erro cometido por muitas pessoas, muitas vezes experientes. Se apaixonam por um local, lindo, em que o projeto arquitetônico vai ficar maravilhoso, e não reparam que na rua não passam pessoas. A menos que você já tenha uma marca com um nome consolidado, o movimento da rua é o que vai sustentar o seu café no início, e o que vai gerar receita recorrente.
 
- Passo 4 - Achar que não precisa gostar de café e nem entender da bebida. Principalmente depois da terceira onda das cafeterias, gostar de café tornou-se algo fundamental para o quem abre uma empresa nesse ramo. O consumidor está buscando café de qualidade e entendendo cada vez mais do assunto. É imprescindível que o empreendedor seja apaixonado por café para que esteja constantemente buscando conhecer sobre o produto e almejando melhorar a qualidade da bebida a cada dia. Não gostar de café tornará, para o empreendedor, sacal a simples permanência no seu próprio estabelecimento.
 
Agora, para se ter sucesso com uma cafeteria, são infinitos fatores que devem ser observados, além de um detalhado plano de negócios e uma boa pesquisa de mercado. Mas se você continua com o sonho de abrir um café e quer saber qual o único elemento essencial, eu diria a paixão. Paixão pelo café, por pessoas, pelo que faz, por servir. A paixão compensa tudo.
 

Outros Artigos

> leia mais

Comentários

Deixe seu comentário