Mundo Cervejeiro

Cervejas Trapistas x Cervejas de Abadia

Para finalizar o ano de 2015 em alto estilo, trago a explicação de uma das dúvidas mais comuns entre os apreciadores de cervejas especiais. Qual é a diferença entre Cervejas Trapistas e Cervejas de Abadia?
 
Para começar, vamos entender o que são os Trapistas. Bom, trapista é o apelido de uma congregação religiosa católica chamada Ordem Cisterciense da Estrita Observância. Este apelido nasceu do fato de que o primeiro mosteiro cisterciense foi o Notrê-Dame de La Trappe, também conhecido como Abadia de La Trappe.
 
Os trapistas também são conhecidos pelos seus bens de consumo produzidos (isto mesmo, eles não fazem apenas cerveja!) Entre os mais aclamados estão queijos, pães, roupas, chocolates e caixões.
 
Durante a metade do século XX, as cervejas produzidas pelos monges trapistas começaram a inspirar outros produtores mundo afora. A grande divergência nasceu quando ao replicar suas receitas, estes outros produtores também se valeram do termo "cerveja estilo trapista" ou "tipo trapista" nos rótulos, mesmo sem nenhum vínculo com a Ordem.
 
A confusão de autoria teve seu ponto alto em 1960, quando a VeltemBrewery lançou uma cerveja chamada VeltemTrappist. Foi então que os monges da Abadia D'Orval entraram com um processo legal para solucionar o problema. Em 1962, uma lei da Câmara Belga do Comércio decretava: "cerveja trapista é somente aquela que é produzida por monges cistercienses, e não uma cerveja no estilo trapista, a qual deve ser denominada Cerveja de Abadia".
 
Para se valer disso, algumas regras devem ser seguidas pelos trapistas: a cerveja deve ser fabricada dentro das paredes do mosteiro trapista pelos próprios monges ou sob a sua supervisão; acervejaria deve ser subordinada ao mosteiro e deve ter uma cultura empresarial condizente ao projeto de vida monástica; a cervejaria é quase filantrópica, sem fins lucrativos. Os recursos são para o sustento dos monges e para a preservação da abadia. O dinheiro que sobra é usado para causas sociais ou doado para pessoas carentes. Acerveja trapista é de uma qualidade impecável, que é controlada permanentemente.
 
Dos 171 mosteiros trapistas, apenas 11 são autorizados a marcar suas cervejas com o selo de autenticidade trapista, garantindo a origem monástica de sua produção. Na Bélgica: Rochefort (Namur), Achel, Orval, Westmalle, VleterenOester, Chimay. Na Holanda: Konigshoeven - cerveja La Trappe, Abdij Maria Toevlucht (em Klein-Zundert). Na Áustria, Estados Unidos e Itália, respectivamente: Engelszell, St. Joseph’sAbbey e Abadia das Três Fontes.
 
E as de abadia? Todos aqueles que quiserem ser conhecidos por cervejas de abadia! Exemplos: St. Bernardus, Maredsous, Leffe e StFeuillien, entre muitas outras.
 
Para finalizar, desejo a todos um próspero Ano Novo repleto de muitas alegrias e cervejas!

Escolas Cervejeiras II

Mudança de Planos!

O que é uma Escola Cervejeira?

A arte de degustar cervejas

Sejam Bem-Vindos ao Mundo da Cerveja