Saboreando Paris

Kir: um drink para impressionar convidados

Que tal começar o ano com um drink especial? Se você gostou dessa ideia, sugiro que prepare um Kir que, além de gostoso, acrescenta uma ótima história para você contar aos seus convidados.
 
O padre francês Felix Kir lutou ao lado da Resistência Francesa e se tornou herói da Segunda Guerra Mundial. E, como se não fosse o suficiente, depois assumiu o cargo de prefeito da cidade de Dijon por 23 anos. E foi justamente exercendo esta última função que ele deixou sua marca no seletíssimo mundo da gastronomia francesa.
 
Na época em que foi prefeito, a economia local era sustentada por dois produtos: um vinho branco de sabor ácido, feito com a uva Aligoté, e o Crème de Cassis, um licor de frutas bem doce. Entre as responsabilidades do cargo, duas questões o preocupavam especialmente: buscar novas maneiras de promover produtos locais e ser anfitrião de muitos jantares, recebendo delegações estrangeiras e comitivas políticas. Em um dia especialmente inspirado, ele descobriu uma maneira perfeita de resolver suas preocupações: misturou os dois produtos... e criou um novo drink!
 
Para surpresa geral, a bebida virou um sucesso. Considerado a combinação perfeita, o sabor adocicado do licor quebrava a acidez do vinho. Os convidados que passavam pelos jantares do padre-prefeito começaram a pedir o “drink do Kir” por bares da Europa, popularizando o nome.
 
Com o passar do tempo, a invenção ganhou adaptações. Outras regiões francesas começaram a usar vinhos locais, enquanto alguns restaurantes oferecem várias opções de sabores, usando o Crème  de Mûres (amora), Crème de Pêche (pêssego) ou Crème de Framboise (framboesa). E, claro, a variação mais famosa de todas: substituir o vinho por champagne, criando um “KirRoyale”.
 
Atualmente o Kir tem status de bebida sofisticada; é muito popular como aperitivo, antes de refeições, e pode ser encontrado na maior parte dos restaurantes franceses. Mas a melhor parte é que, como aprendemos com seu famoso criador, o Kir é perfeito para impressionar convidados. E você pode servi-lo na próxima ocasião especial: misture uma medida de licor de cassise quatro de vinho branco seco, direto na taça. Voilá!
 
E enquanto desfruta o sabor, pondere: no lugar do monsieur Kir, você preferiria ser lembrado como padre, herói de guerra, ex-prefeito de Dijon ou autor de um drink conhecido mundialmente?
 

O mistério natalino do pain d'épices

Empreendendo com ingredientes locais

Grand Épicerie de Paris e Bon Marché

Café com sablé

O polêmico Foie Gras

Petit Gâteau: Made in Brasil?

Memórias e madeleines

Do campo ao menu gourmet: a vez do Ratatouille

A tragédia do pai do chantilly

Cafè Gourmand: a nova moda que rompe tradições

Treze: nenhuma a mais, nenhuma a menos

Tudo fica melhor com chocolate... até museus!

Quem é mais forte: o cheiro do croissant ou o exército otomano?

Meu primeiro gostinho da gastronomia francesa

Os pratos preferidos dos franceses: Medalha de Prata

O terceiro prato mais popular na França

Um monte de orgulho do Monte do Orgulho

Crème de la Crème

A política do fromage

Sânque ru do nu

Escargot à gogo

Bûche de Noël para aquecer o inverno

Paris t'aimeaussi... hamburger!

Uma vista panorâmica como entrada

Brioche de rei: "Não tem pão? Que comam brioche!"

Uma viagem gastronômica nas Horas Felizes

O éclair está 'bombando'

Jantar com história

Almoço na Torre

Um jantar na casa de Raphäel

Fotos: Divulgação

Chou? Qu'est-ce que c'est?

Marca registrada das comemorações

Dia nacional do crepe?!

Um lugar em que o fondue é mais do que queijo derretido

O inverno está chegando. Hora de Raclette!

A "comida de rua" invade Paris

E essa história de pão francês?

Um arco-íris de sabores

Culinária francesa? Bien sur!