Saboreando Paris

Grand Épicerie de Paris e Bon Marché

Dizem que a França é um país caro. Na verdade, lá nada pode ser barato, já que essa palavra simplesmente não existe em francês. Um produto pode ser “moinschèr” (menos caro) ou, na melhor das hipóteses, “bonmarché” (um bom negócio). 
 
Bon Marché é uma expressão bem francesa. É, também, uma palavra-chave na história do comércio mundial.
 
Diferente de hoje, no século XIX, fazer compras era complicado: as lojas tinham estoques restritos e preços variáveis. Na época, Aristide Boucicaut trabalhava em uma pequena boutique parisiense, e Paul Videautinha em uma lojinha quase falida na esquina da Rue de Bac com a Rue de Sevres. Quando se conheceram, esse endereço ficou famoso. Nascia, assim, Bon Marché, a primeira loja de departamentos do mundo.
 
Bon Marché mudou as regras do mercado. Além de oferecer uma impressionante gama de produtos, difundiu outros conceitos criados por Boucicaut e que são adotados até hoje, como entregas gratuitas, catálogos de produtos, troca e reembolso de itens e (pasmem!) coleções para cada temporada.
 
Rapidamente, o lucro aumentou, Boucicaut comprou a parte do sócio e expandiu a área da loja. No projeto do novo espaço, outra inovação: foi o primeiro prédio francês a usar a arquitetura metálica popularizada por Gustave Eiffel (antes dele projetar a famosa Torre).
 
Atualmente, a loja é muito frequentada por parisienses, mas não atrai muitos turistas. É que os visitantes “caem de boca”(literalmente) na sua épicerie que, de tanto crescer, acabou ganhando um prédio próprio (de 3.000m2), do outro lado da rua. A Grand Épicerie de Paris é uma das mecas gastronômicas da capital francesa, dispondo de mais de 30 mil produtos gourmets, selecionados a dedo. 
 
As mercadorias dividem-se em quatro departamentos: supermercado, com artigos do mundo inteiro; produtos frescos (frutas, verduras, peixes, carnes e queijos) vendidos diretamente do produtor; bebidas alcoólicas; e a cozinha, ofertando pães, saladas, sopas, pratos gourmets e sobremesas produzidos no local.
 
Talvez essa aparente ser uma loja bem cara. Considerando a qualidade dos produtos, eu diria que não. Mas também não é barato. Seguindo a tradição francesa refletida no seu nome, é definitivamente bonmarché.
 

Café com sablé

O polêmico Foie Gras

Petit Gâteau: Made in Brasil?

Memórias e madeleines

Do campo ao menu gourmet: a vez do Ratatouille

A tragédia do pai do chantilly

Cafè Gourmand: a nova moda que rompe tradições

Treze: nenhuma a mais, nenhuma a menos

Tudo fica melhor com chocolate... até museus!

Quem é mais forte: o cheiro do croissant ou o exército otomano?

Meu primeiro gostinho da gastronomia francesa

Os pratos preferidos dos franceses: Medalha de Prata

O terceiro prato mais popular na França

Um monte de orgulho do Monte do Orgulho

Crème de la Crème

A política do fromage

Sânque ru do nu

Escargot à gogo

Bûche de Noël para aquecer o inverno

Paris t'aimeaussi... hamburger!

Uma vista panorâmica como entrada

Brioche de rei: "Não tem pão? Que comam brioche!"

Uma viagem gastronômica nas Horas Felizes

O éclair está 'bombando'

Jantar com história

Almoço na Torre

Um jantar na casa de Raphäel

Fotos: Divulgação

Chou? Qu'est-ce que c'est?

Marca registrada das comemorações

Dia nacional do crepe?!

Um lugar em que o fondue é mais do que queijo derretido

O inverno está chegando. Hora de Raclette!

A "comida de rua" invade Paris

E essa história de pão francês?

Um arco-íris de sabores

Culinária francesa? Bien sur!