Grand Cru contrata sommelier Fábio Farah

 

Foto: Benício Siqueira/Desguste
Fábio Farah é o primeiro sommelier de fato a atuar no mercado natalense


É inegável o crescente aumento no consumo de vinhos em Natal nos últimos anos, o que faz acirrar, por outro lado, a disputa, entre lojas e importadoras, pelo mercado desse produto. Foi pensando num diferencial como estratégia que a Grand Cru foi buscar, em Curitiba, desde o dia 22 de março, um profissional do vinho capaz de fazer a diferença, seja no relacionamento com os donos de restaurantes ou com o cliente direto na loja.
 
Formado em 2003 pela Associação Brasileira de Sommelier (ABS) de São Paulo, Fábio Farah, 37, é o primeiro sommelier de fato a atuar em Natal. Natural de São Paulo, ele trabalhou durante
Grand Cru contrata sommelier para consultor
.
 
É inegável o crescente aumento no consumo de vinhos em Natal nos últimos anos, o que faz acirrar, por outro lado, a disputa, entre lojas e importadoras, pelo mercado desse produto. Foi pensando num diferencial como estratégia que a Grand Cru foi buscar, em Curitiba, desde o dia 22 de março, um profissional do vinho capaz de fazer a diferença, seja no relacionamento com os donos de restaurantes ou com o cliente direto na loja.
 


Formado em 2003 pela Associação Brasileira de Sommelier (ABS) de São Paulo, Fábio Farah, 37, é o primeiro sommelier de fato a atuar em Natal. Natural de São Paulo, ele trabalhou durante muitos anos naquela cidade em restaurantes como o Pomodori e o Vila d’Aosta Verdi. Nos últimos cinco anos ele estava atuando em Curitiba, como consultor de uma rede de lojas especializadas, a Vino, que somente na capital do Paraná possui unidades no Batel, Champagnat e Mercado Municipal, além de lojas em Londrina, São Paulo e Florianópolis.

Fábio foi contratado como consultor externo para atender principalmente os restaurantes e eventos, seja na área de vendas ou treinamentos da brigada de salão. Com expertise suficiente para assumir esse novo desafio, ele explica que não quer ser um “tirador de pedido”. “O meu trabalho vai muito além disso. Como consultor, eu tenho que analisar sobretudo a forma como o vinho está sendo tratado dentro de um restaurante para depois atuar”, informa.
 
Uma idéia interessante que ele pretende iniciar o mais rápido possível é o de acompanhar durante o funcionamento de um restaurante o trabalho dos garçons e maîtres, principalmente com relação ao serviço do vinho. “O vinho é um produto que bem trabalhado gera importante receita para os restaurantes, cujo serviço precisa ser feito com muito profissionalismo e competência”, afirma Fábio. E o Basílicos será o primeiro restaurante a ser “testado” por ele. Outra iniciativa de Fábio será o de estimular a venda de espumantes em taças, por acreditar que o nosso clima é perfeito para isso. “Um espumante combina muito bem com uma entrada com frutos do mar”.
 
E o que falar de Natal? Fábio diz que está impressionado com a beleza da cidade e que vê nela um potencial muito bom para trabalhar o vinho, principalmente devido ao grande fluxo de turistas que visitam anualmente a cidade. Para conhecer um pouco melhor o mercado, todos os domingos ele almoça em um restaurante diferente e observa tudo o que acontece no salão.
 

VINHOS
 

  Os vinhos franceses são os melhores do mundo

Sobre os vinhos de sua preferência, Fábio Farah não pensou duas vezes e disse que a França ainda produz os melhores vinhos do mundo, principalmente as regiões da Borgonha e Bordeaux. Ele destaca também os vinhos de Portugal, sobretudo os da região do Douro. Na Itália, os vinhos do Piemonte e do Vêneto foram bem avaliados.

Quanto aos vinhos do chamado Novo Mundo, Fábio se diz surpreendido com os da Califórnia, nos Estados Unidos, por serem vinhos estruturados e com uma madeira bem integrada. “O Opus One, do Napa Valey, foi um dos vinhos que mais me impressionaram”.

Na América do Sul, o destaque foi para o vinho argentino Cobos e o chileno Casa Real, da safra de 2002. No Brasil, ele destaca o vinho Chardonnay da Villa Francioni, de Santa Catarina, e o vinho tinto Concentus, um corte das uvas Merlot, Tannat e Cabernet Sauvignon, produzido pela vinícola gaúcha Pizzato. Também do Rio Grande do Sul merece elogio de Fábio o espumante da Geisse, o Cave Geisse Brut, feito pelo método tradicional como são elaborados os "champagnes" na França.

 

Grand Cru Natal
Av. Hermes da Fonseca, 506, Petrópolis.
Natal/RN
Fone: (84) 3201-0589

 

Comentários

Deixe seu comentário

voltar <