SAV encerra viagem ao Vale dos Vinhedos com retorno à Casa Valduga

Fotos: Benício Siqueira / Deguste
O diretor da Casa Valduga, João Valduga, falando para a SAV
 
No último dia de visitação ao Vale dos Vinhedos, a SAV teve a oportunidade de retornar à Casa Valduga, para um grande almoço com um dos donos da vinícola. Finalizando a incursão, a confraria foi à Domno Importadora, que integra os negócios da Famiglia Valduga.
 
Casa Valduga
 
A Casa Valduga reservou o ponto alto da viagem da SAV a Bento Gonçalves, com um almoço que contou com a ilustre presença do enólogo João Valduga, um dos três irmãos – os outros são Erielso e Juarez - que comandam uma das vinícolas mais importantes e mais estruturadas do Brasil.
 
Vinhos da segunda degustação na Casa Valduga
 
O inesquecível almoço teve como principal objetivo a degustação do vinho de maior expressão da casa, o Luiz Valduga, uma homenagem ao patriarca da família, que demorou 10 anos para ser produzido, desde a concepção do projeto até o resultado final.
 
Erielso Valduga (d), em descontraído bate papo com a SAV
 
Antes, porém, a SAV fez uma visita à enorme cave, seguida de degustação de espumantes, dentre eles o Maria Valduga, o top da vinícola. Bastante simpático, João Valduga falou com muito carinho e paixão sobre a qualidade desse vinho, elaborado a partir de safras excepcionais, utilizando um blend secreto de uvas com edição limitada, e que não será elaborado todos os anos. Por isso, ele não tem safra, recebendo apenas
uma numeração.
 
 
O diretor da Deguste, Benício Siqueira, com João Valduga
 
Por se tratar de um vinho especial, com produção de apenas 3 mil garrafas, a concepção do rótulo envolveu três elementos muito fortes para destacar o árduo trabalho do patriarca à frente da vinícola: a pedra, o ferro e a madeira.
 
Vinho de muita personalidade com passagem em barricas de carvalho francês, ele possui uma coloração rubi intenso, com aromas complexos e sofisticados, remetendo a frutas maduras e secas, além de especiarias e defumados.
 
João Valduga com o consultor Gilvan Passos
 
Em boca, é vibrante e surpreende pela acidez e taninos de ótima textura e aveludados. Tem grande complexidade com sabores de frutas maduras e bem concentradas. É um vinho muito bem feito, encorpado e elegante para ser apreciado sem pressa, que já está bom para beber agora, mais que ainda tem muito a evoluir em garrafa.
 
Casa Valduga
Via Trento, 2355
Bento Gonçalves/RS
Fone: (54) 2105-3122
 
Domno Importadora
 
 
Enólogo Jhonatan Marini conduzindo mais uma degustação Os vinhos da degustação na Domno
 
As cervejas Leopoldina são de excelente qualidade

A visita da SAV à região vinícola mais importante do Brasil encerrou-se com uma degustação de vinhos e cervejas na Domno, empresa do grupo Famiglia Valduga, localizada em Garibaldi, cujas atividades comerciais iniciaram em agosto de 2008.

Além de importar vinhos de vários países, a Domno elabora o espumante .Nero, bastante conhecido do natalense.

A degustação foi conduzida mais uma vez pelo enólogo Jhonatam Marini, que escolheu o espumante .Nero Rosé de Noir Brut; o vinho chileno Kalfu Sumpai Sauvignon Blanc 2014; o vinho italiano Rievole Novecento Chiante Clássico Riserva 2010; o espanhol Frontaura Reserva 2005, e três cervejas Leopoldinas, também produzidas pela Valduga, cuja linha completa envolve cinco rótulos.
 
A SAV degustou a cerveja Leopoldina Weissbier, feita de trigo; a Leopoldina Witbier, com limão siciliano e coentro, e a Old Strong Ale. Os outros dois rótulos são a Leopoldina Ipa e a Leopoldina Pilsner Extra.
 
Para 2017, a SAV pretende voltar ao Velho Continente, desta vez para explorar os lindos vinhedos da Toscana, a principal região vinícola da Itália.
 
Domno Importadora
4204, Rod. São Vendelino, 3984
Borghetto - Garibaldi/RS
Fone: (54) 2105-3122

Comentários

Deixe seu comentário

voltar <