Chef André Magalhães une Minas e Rio Grande do Norte através dos sabores regionais

Fotos: Rogério Vital / Deguste
 
Chef André Magalhães funde sabores regionais da culinária mineira e potiguar em seus pratos
 
Desde criança André Magalhães conviveu com duas modalidades de comida regional; a feita em casa por sua avó, prendada em delícias mineiras, lembrança da sua infância em Minas Gerais; e a culinária nordestina, em especial a do Rio Grande do Norte, onde veio  morar com a família, quando estava um pouco mais crescido. O paladar dos dois lugares acompanha André até hoje e inspiram suas criações gastronômicas.
 
No 'Camarão Mar de Morros', o chef une barriga de porco com bisque de camarões sobre um aligot de macaxeira e feijões verdes crocantes
 
Depois de uma tentativa de cursar História na UFRN, André percebeu que não dava mesmo para fugir de suas inclinações gastronômicas, e decidiu se aprofundar no conhecimento profissional sobre comida. “Terminei o Senac, me graduei em Gastronomia e me apaixonei pelo Rio Grande do Norte, que foi o estado que me abraçou e me deu as oportunidades de viver experiências incríveis, conhecer pessoas da área”, comenta o chef.
 
Peixe e legumes grelhados com vinagrete de cheiro verde e pimenta de cheiro, sobre fumê de peixe e ostras. Outra criação do chef André
 
Ele percebeu que o potiguar adora sua comida regional e acabou também se apaixonando pelo terroir daqui, o sabor marcante da carne de sol, mas ao mesmo tempo sempre conectado à memória afetiva dos tempos de Minas Gerais, seus queijos e outras delícias. Mas era preciso viabilizar esse sentimentalismo de sabores ao caráter profissional, já que tinha se formado em Gastronomia e era preciso levar oso adiante. Teve várias experiências em Natal e conheceu profissionais de sua área, chegando a ter um bistrô na Pipa, em parceria com um amigo.    — o Le Gratin, que funcionou de 2015  a 2016. 
 
André Magalhães se inspira na memória afetiva dos pratos da avó mineira e nas delícias regionais do Rio Grande do Norte
 
Em seguida, André foi convidado para fazer uma vivência em Fernando de Noronha, em uma das pousadas mais luxuosas e badaladas da ilha. “Fui convidado para passar uma semana lá, pra assumir a cozinha, pra ver como seria a experiência, e aí passei uma temporada lá de dois anos praticamente, na Pousada Maravilha, muito famosa. E também vivi experiências incríveis, conhecendo gente e sabores de todos os lugares. Há um mês decidiu voltar para o continente, e tratou de viajar pelo país afim de realizar alguns cursos e, principalmente, em busca de inspiração para novos voos. André Magalhães hoje trabalha com curas de carne, charcutaria e defumação, com comida mineira e também potiguar, fundindo tendências. De férias, ele conta que já surgiram algumas propostas, mas ainda analisando, “namorando com elas”.  
 
André está analisando propostas profissionais em Natal e no Nordeste
 
Ele elogia os cursos de formação existentes em Natal e cita profissionais que admira na cidade, como Carol Linhares, e sua cozinha criativa e saudável, e também Nito Avelar. Costuma frequentar os restaurantes Lótus Japanease Food, elogiando o chef Joelson Leite, e o Mina D’Água, pela comida mineira. 
 
André Magalhães recebeu a equipe da Deguste com dois pratos que resumem a fusão de comida regional mineira e potiguar. Ele preparou uma barriga de porco defumada na jabuticabeira, com bisque de camarões flambados na cachaça mineira e raspadura, sobre um aligot de macaxeira e feijões verdes crocantes. O segundo prato foi um peixe grelhado com legumes também grelhados, com vinagrete de cheiro verde e pimenta de cheiro, sobre fumê de peixe e ostras.
 
CHEF ANDRÉ MAGALHÃES
Instagram: @asamag7
 
 

Comentários

Deixe seu comentário

voltar <